E se o século 21 fosse pintado pelos impressionistas?

Quando se analisa a autoria de um quadro, leva-se em conta tudo: a técnica, as cores, a dimensão da obra, o material, o assunto retratado. Os impressionistas amavam tudo o que permitisse explorar as cores e variações de tonalidade: Monet e seus jardins e águas, as bailarinas de Degas, as banhistas de Renoir.

Já os futuristas queriam exaltar, na técnica pictórica, o tema da modernidade, as cidades e seus arranha-céus, as locomotivas, a luz elétrica.

As obras de Jeremy Mann, pintor americano, reproduzem o interesse dos futuristas pelas paisagens urbanas modernas, mas com as pinceladas fragmentadas e desfocadas características da impressão. É o encontro da contemporaneidade com a pintura de um tempo.